Colunistas


Personalidades, Irmãs Franciscanas Bernardinas

Parte IV - Final
25/08/2019 Fonte: Luciana Terezinha Novinski
Luciana Terezinha Novinski
Luciana Terezinha Novinski

Queridos leitores hoje estarei escrevendo a quarta e última coluna sobre as IRMÃS FRANCISCANAS BERNARDINAS em Dom Feliciano na parte sobre Personalidades. Quem acompanhou as outras pode acompanhar o quanto as Irmãs eram preocupadas e trabalhavam pela saúde e educação de nossa colônia, além de serem responsáveis pelas Escolas Maria Santíssima e Wladislaw Jagielly e o Hospital São José, ainda fizeram mais que estaremos citando agora. Preocupadas com as famílias carentes que residiam no Bairro São Francisco, Ir. Angela da Costa Beber junto com outras irmãs começou a trabalhar naquela comunidade em um local cedido por eles, mas buscando o melhor resolveu para melhor atender a quem precisasse construir o Clube de Mães, uma entidade que ficava próximo ao Bairro São Francisco e que realizava cursos, palestras, encontros motivacionais e atividades sociais voltadas a pessoas carentes, posteriormente o mesmo passou a chamar-se APV – Associação Pró Vida que continuava com os mesmos objetivos. Mas pensando sempre no melhor é criada a INSTITUIÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL ABCD SÃO FRANCISCO, uma entidade que passa a atender crianças carentes de pais que precisam trabalhar o dia inteiro, sendo que as mesmas  são atendidas em turno integral, com refeições nas horas certas e de qualidade, tendo pela manhã atividades recreativas e sociais e a tarde o Pré – Escolar de 4 e 5 anos autorizados por lei e mantidos pela ABCD – Associação Brasileira Cultural e Beneficente com apoio em algumas atividades de pessoas da comunidade e Administração Municipal. E já que Dom Feliciano era seu lar em 1990 iniciaram as obras para construção de uma casa para as Irmãs morarem, já que nunca pararam de trabalhar no hospital e ajudando quem precisasse, após alguns anos a casa ficou pronta, foi um momento importante para as irmãs, pois a casa seria um lugar de acolhimento para elas após um longo dia de trabalho, local de descanso e oração, onde  jovens que tinham interesse em tornar-se irmãs eram acolhidas, missas foram lá celebradas e muitas pessoas necessitadas eram atendidas, há um pátio grande com arvoredo e horta para algumas horas merecidas de lazer. Algumas Irmãs ainda residem na casa que também recebe pessoas das Pastorais e organizações religiosas ou filantrópicas que trabalham pelo bem do próximo. E antes de encerrar quero convidar a quem puder visitar a GRUTAS EM HOMENAGEM AS IRMÃS FRANCISCANAS BERNARDINAS, que ficam na saída para cidade de Amaral Ferrador, terreno onde foi o primeiro hospital da colônia, onde as Irmãs residiam e atendiam os doentes. O Monumento em azul foi inaugurado em 1994 e o de pedras brancas em 2007  e ao redor  tem até banquinhos para você sentar, refletir e rezar. Encerro as colunas sobre a história das IRMÃS FRANCISCANAS BERNARDINAS agradecendo em nome de toda comunidade, pois com certeza DOM FELICIANO não seria o que é se não  fosse pelo trabalho incansável das Irmãs Franciscanas Bernardinas. Até nossa próxima coluna.



MAIS DO COLUNISTA

FACEBOOK

1

NEWSLETTER

Informe seu e-mail e fique por dentro das nossas novidades!

PREVISÃO TEMPO

HORÓSCOPO

COTAÇÃO AGRÍCOLA

INSTAGRAM

PODCASTS