Colunistas


COMUNIDADES DE DOM FELICIANO – LINHA FEDERAL

Dando continuidade a falar das comunidades, vamos citar a “LINHA FEDERAL”
26/07/2022 Luciana Terezinha Novinski
Luciana Terezinha Novinski
Luciana Terezinha Novinski

Anterior Próximo

Dando continuidade a falar das comunidades, vamos citar a “LINHA FEDERAL”, onde cresci  brincando, pois meus familiares viveram,  meus avós maternos residiam (ŁAPINSKI), pois meu tio bisavô (José Lapinski) foi um dos imigrantes e por isso meu avô materno veio da Polônia para residir aqui. E meus bisavôs paternos (CIESLUK E NOVINSKI) também residiam alí. Em 1925, surgiu nesta Linha a Sociedade Cultura, onde os moradores mais conceituados da comunidade foram escolhidos Presidente e Secretário, sendo  Presidente Sr. Eduardo Ciesluk, e o secretário Sr.Pancrácio Maciejewski, e também outros moradores formavam a Diretoria: Henrique Maliszewski, Francisco Novinski (Meu bisavô), Vitor Tarnowski, Francisco Maciejewski e Estanislau Janeczeck. José Łapinski (meu tio bisavô) e Jerônimo Maliszewski doaram as terras para construírem a sociedade, foi construída uma casa de pau a pique que serviu como escolinha até os moradores se unirem para construir uma escola de material. Neste tempo passou pela comunidade Pe. Constantino Zajkowski, que sugeriu um novo nome a sociedade, passando de Sociedade Cultura para Sociedade São Jacinto. Os professores João Jankowski, Estanislau kiedrycki, Amélia Chrotowski e Leonardo Maliszewski que trabalhou na escola de material por 25 anos. Destes professores só Leonardo Maliszewski recebia uma modesta subvenção do município, pois os demais eram mantidos com doações dos moradores. Outra professora que também por muitos anos lecionou na escola foi a Sra. Teresa Novinski (minha tia paterna). Naquela época mais de 40 crianças de descendência polonesa frequentavam a escola, e falavam na escola e em casa o polonês e o português. Algumas famílias assinavam para saber da Polônia, o jornal curitibano “Lud” e vários possuíam rádio. Algumas famílias mantinham contato com famílias na Polônia através de correspondências, entre eles a família de meu avô materno Waclau Łapinski, mas que com o passar dos anos e ele falecendo perderam contato. Somente após o ano de 2010, através do “ORKUT” , febre da época que todos quase tinham, os familiares da Polônia começaram procurar os “ŁAPINSKI” do Brasil, e  após ter encontrado nossa família em 2014 o primo Boguslaw veio da Polônia nos conhecer no Brasil e em 2020 eu Luciana fui para Polônia e lá além de conhecer a terra de meus antepassados, com o primo Boguslaw conheci outros familiares e a casa onde meu avô materno Waclau Łapinski residiu quando criança em Łódź. Fica então aqui registrado algumas lembranças sobre o inicio da localidade que tenho muito carinho, porque meus familiares residiam e residem, e me criei brincando porque nasci na localidade ao lado chamada LINHA 35, mas que não falarei nas colunas porque não tem sua história escrita. E antes de encerrar a coluna é importante falar que atualmente a Comunidade São Jacinto se chama Comunidade Nossa Senhora de Lourdes, e recebeu este nome porque na época que o Pároco da comunidade era o Pe. Ivanor Maciejewski, o mesmo sugeriu a mudança do nome, porque além de ser o nome da escola, o Santo com esse nome só tinha na Polônia e era difícil conseguir uma imagem, e para ter uma imagem para adorar escolheram NOSSA SENHORA DE LOURDES para proteger a comunidade. Até nossa próxima coluna.

MAIS DO COLUNISTA

FACEBOOK

1

NEWSLETTER

Informe seu e-mail e fique por dentro das nossas novidades!

PREVISÃO TEMPO

HORÓSCOPO

COTAÇÃO AGRÍCOLA

INSTAGRAM

PODCASTS