Colunistas


Relato das Visitas Importantes na Colônia São Feliciano - Parte IV

Em 1946, São Feliciano recebeu o ilustre Príncipe Olgerd Czartorycki, que viajava pelo sul do Brasil com a credencial da Cruz Vermelha Polonesa.
20/11/2020 Luciana Terezinha Novinski
Luciana Terezinha Novinski
Luciana Terezinha Novinski

Dando continuidade a nossa coluna, relatando ainda as visitas ilustres realizadas em nossa colônia, vamos ao dia 06 de julho de 1946, onde recebemos o ilustre Príncipe Olgerd Czartorycki que viajava pelo sul do Brasil com a credencial da Cruz Vermelha Polonesa para angariar donativos aos poloneses vitimados pela guerra, sendo que veio acompanhando o Pe. Albino Kunrath, vigárip  Ao chegar de ônibus foi recebido pelos Srs. Estanislau Bujnowski e Alexandre Szczostakowski, ficando hospedado na residência da Sra. Choinski, permanecendo em São Feliciano por 3 dias, sendo homenageado no Salão da Sociedade Progresso pela orquestra do Sr. Carlos Muszynski que executou o Hino Nacional, o Hino Polonês  e depois diversas canções. E o Dr. Jorge de Moraes proferiu uma saudação em nome de toda comunidade, dando as boas vindas e ao mesmo tempo agradecendo a presença do Príncipe. O Sr. Estanislau Bujnowski também fez uso da palavra, e o príncipe encerrou as falas, citando a atual situação da Polônia no após guerra. Foi oferecido ao Príncipe um delicioso almoço no Hotel do Comércio do Sr. José Antônio Martins, que posteriormente o Sr. Raimundo Krachefski se tornou proprietário. Na oportunidade o Príncipe Olgerd Czatorycki autorizou o Sr. Estanislau Bujnowski a receber na comunidade donativos para Cruz Vermelha Polonesa e envia-los para Polônia. Em 1950 tivemos a satisfação de receber festivamente em nossa comunidade o Bispo Joséf Gawlina, designado pela Sé Apostólica da Polônia para dar atendimento aos poloneses e seus descendentes. Foi combatente do Exército Polonês e após a guerra, tornou-se Protetor Apostólico das legiões de exilados dispersos pelo mundo. Foi recebido com discurso de boas-vindas e muitas homenagens. Em 1968, Dom Feliciano recebe mais uma autoridade eclesial, o Bispo Polonês Wladislaw Rubin, secretário vitalício do Sínodo dos Bispos em Roma. Recebeu a devida atenção dos descendentes poloneses inclusive a recepção com a escolta de cavalarianos que o aguardavam na entrada da cidade. Além destas autoridades que citamos, recebeu-se durante anos visitas de muitas autoridades civis, eclesiásticas e políticas que vieram conhecer e estimular o povo a progredir. 

MAIS DO COLUNISTA

FACEBOOK

NEWSLETTER

Informe seu e-mail e fique por dentro das nossas novidades!

PREVISÃO TEMPO

HORÓSCOPO

COTAÇÃO AGRÍCOLA

INSTAGRAM

PODCASTS