Colunistas


Relato das Visitas Importantes na Colônia São Feliciano

Iniciando com a visita do Dr. Estanislau Klobukowski que veio ao Brasil em 1895 e 1896.
29/09/2020 Luciana Terezinha Novinski
Luciana Terezinha Novinski
Luciana Terezinha Novinski

Queridos leitores a partir desta coluna e em mais algumas estarei escrevendo sobre as visitas importantes e ilustres que a comunidade recebeu. Iniciando com a visita do DR. ESTANISLAU KLOBUKOWSKI que veio ao Brasil em 1895 e 1896, em missão especial, como sociólogo para inteirar-se sobre a situação econômica e religiosa dos imigrantes poloneses, sendo enviado pela Associação de Proteção aos Imigrantes de Leópolis. Ao voltar para Polônia, publicou em polonês um importante estudo sobre a imigração polonesa no sul do Brasil sob o título de “Wspomnienia z Podróży’” (Memórias de Viagem), depois traduzido para o português pelo Prof. Francisco Dranka como:  Anais da Comunidade Brasileiro-Polonesa vol IV de 1971. Ao viajar pelos Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, escreveu as seguintes impressões sobre a colônia São Feliciano: “Em minha estada em São Feliciano por dez dias, andei entre serras e vales tendo como guia o colono Ruskowski, que também não conhecia as melhores estradas, mas que me fez companhia e tornou a minha viagem mais suave. Chegamos cansados na casa do Sr. Matuszewski, na Linha Pederneira, onde fomos muito bem recebidos e após fomos conduzidos a residência de seu sogro Sr. Antonowicz, onde pernoitamos. No dia seguinte rumamos para a Sede, pequeno núcleo da colônia onde nos apresentaram e recomendaram o Sr. Antônio Mendelski, substituto do Diretor da Colônia. Permaneci por dez dias em sua residência onde há muito tempo não via tanta mordomia e descanso. Fizemos vários encontros com os colonos, incentivando-os a organizarem-se e fundarem sociedades, pois o que sentimos é que tinha gente inteligente e com capacidade de administração na mesma, porém estavam inativos. Havia na época umas 600 famílias polonesas que após foram diminuindo. Várias foram para cidades a procura de trabalho, outras até o Paraná, e muitos retornaram a Polônia. Encontravam grandes dificuldades para pagar os lotes e outros utensílios para o trabalho e os impostos que precisavam pagar faziam de suas vidas um sacrifício. Sofreram muito na época da Revolução quando roubaram seus alimentos e cavalos, havendo até estupros e assassinatos, perseguições e ameaças. Os imigrantes eram lesados e precisavam ficar quietos e tomei conhecimento que depois desta passagem os colonos adquiriram facas  e pistolas para poderem se defender. Não tinha Padre residindo na colônia nesta época, somente vinha de cidades vizinhas de vez em quando o Pe. Robert Kuklok, missionário, que diziam ser muito bom para os imigrantes”. Depois destas declarações o Sr. Estanislau Klobukowski, deixou a casa do Sr. Mendelski  na Colônia São Feliciano e se dirigiu à Pelotas, acompanhar lá a vida de outra colônia de poloneses. Encerro aqui o relato desta primeira visita importante em nossa colônia lhe convidando para acompanhar a próxima!

MAIS DO COLUNISTA

FACEBOOK

NEWSLETTER

Informe seu e-mail e fique por dentro das nossas novidades!

PREVISÃO TEMPO

HORÓSCOPO

COTAÇÃO AGRÍCOLA

INSTAGRAM

PODCASTS